Servidores Públicos Municipais de Ilhéus enfrentam prejuízos e denunciam desrespeito

Na ultima sexta- feira, dia 21 de julho, os Servidores Públicos Municipais foram mais uma vez surprendidos negativamente pela gestão do prefeito Mario Alexandre e pela direção do SINSEPI. Isso porque foi publicado no Diário Oficial do municipio, a lei nº 4. 320 a qual concede revisão geral anual à remuneração dos servidores ativos do Poder Executivo de Municipal e que dispõe em seu inciso 1º do primeiro artigo : “O pagamento do valor retroativo aos servidores da ativa, referente aos meses de fevereiro a maio, em duas parcelas sendo uma até outubro de 2023 e a outra até fevereiro de 2024” No entanto, em assembleia realizada no dia 14/06/23, a proposta ofertada pela gestão estabelecia retroativo nos meses de janeiro a maio pago em parcela única até outubro de 2023. (como pode ser conferido no video abaixo no qual Rafael, diretor do sindicato faz a leitura). Tal proposta foi prontamente aceita e ratificada na ultima assembléia geral, datada de 19/06. Portanto, essa lei desrespeita o acordo feito entre os servidores resultando em mais um prejuízo, visto que foi perdido um mês de reajuste e o pagamento se estendeu até o proximo ano. Diante disso, os servidores cobram respeito e transparência. exigem uma resposta do sindicato que diz os representar mas silencia com absurdos como esse e nem dá um justificativa muito menos convoca paralisação ou manifestação contra o ato. Não custa lembrar que esse mesmo ano, foi divulgado um contracheque polpudo do presidente do sindicato Sr, Joacques, vulgo Joca, e que diversas denúncias foram feitas pelos servidores no que se refere à condução das assembléias e desrespeito aos associados. Cabe lemrbar também que o prefeito gosta de propagandear que valoriza o servidor, mas a prática é muito diferente: servidores com redução salarial sem justificativa plausível, sem direito ao vale transporte para municipio vizinho e com direitos estabelecidos com uma porcentagem inadequada como a insalubridade.